PLANOS DE AULA PARA ALUNOS COM NEE

Blog de educarte :EDUCARTE, PLANOS DE AULA PARA ALUNOS COM NEE

PLANO DE AULA INCLUSIVO  - DEFICIÊNCIA VISUAL

TEMA DA AULA: MEIO AMBIENTE

•1.      Objetivos da Aula - Reconhecer a importância das minhocas para a terra e a contribuição da mesma para manutenção de um solo produtivo para o plantio.

•2.      Conteúdos - Preservação do solo como meio produtivo para o plantio.

•3.      Materiais Didáticos - Um aquário ou garrafa pet sem gargalo e transparente, areia, terra, esterco animal (pequena quantidade), água, saco de lixo preto, minhoca de diferentes tamanhos. 

•4.      Materiais Didáticos Adaptados - Máquina de escrita Braile para o registro das observações e vídeo com áudio.

•5.      Descrição dos Procedimentos Didáticos para o Desenvolvimento da Aula

•5.1  Organização da sala de aula e disposição dos alunos - A atividade será realizada no pátio externo da escola devido à manipulação de materiais que podem sujar muito a sala, porém, o início se dará na sala de aula no que diz respeito às orientações para organizar a arrecadação dos recursos necessários.

•5.2  Procedimentos para iniciar a aula - Conversar com os alunos em sala de aula sobre a importância da minhoca no ambiente, para a fertilização e recuperação do solo. Apresentar um vídeo sobre o assunto e ao final apresentar um texto simples sobre a importância e a função da minhoca para o solo.

TEXTO: "A minhoca alimenta-se de restos de vegetais e animais mortos, reciclando a matéria orgânica, liberando o adubo (húmus) no final de sua digestão. Esse adubo é rico em nutrientes. Outro benefício ao solo é a movimentação da minhoca, através de túneis que arejam o solo (misturando as camadas mais profundas com as superficiais)"

Solicitar aos alunos, os materiais necessários para a montagem de um minhocário.

•5.3  Desenvolvimento da aula - Montagem do minhocário: colocar no fundo do recipiente transparente a terra, em seguida a areia, o esterco, a terra novamente e assim intercalando todo material finalizando com o esterco. Colocar as minhocas e cobrir com o saco plástico preto.

Durante a montagem do minhocário os alunos estarão colocando nas mãos dos alunos com NEE - Visual os materiais e citando o nome para que possam manipular sabendo o nome de cada um.

É fundamental estimular o respeito e a valorização mútua entre os alunos e promover estratégias que fomentem cooperação e solidariedade, no lugar de competitividade. Os alunos devem reconhecer o potencial de seus colegas e valorizá-los como pessoas únicas. Para conseguir interações positivas, é preciso estabelecer canais de comunicação nos quais os alunos possam se expressar e se conhecer. (DUK, 2005, p. 182).

•5.4  Finalização da aula - Ao final serão dadas orientações sobre a manutenção diária do minhocário (para os alunos com NEE - Visual será entregue uma cartilha em braile), sobre a observação e o registro do processo (escrito em braile) que poderá ser feito em forma de representação (desenho) pelos outros alunos.

•6.      Síntese das Adaptações Realizadas para Alunos com NEE

Para que alunos com deficiência visual possam participar desta atividade, ao longo da discussão sobre o assunto será necessário exibir imagens com áudio e fazer com que o aluno também anote suas impressões com auxílio de uma máquina braile. O texto deverá ser entregue em braile. O estudante com deficiência visual também poderá acessar a Internet para pesquisa da sala de recursos, no contra turno. Há softwares especializados para garantir a acessibilidade dos cegos à rede. O aluno cego poderá se inteirar do processo de montagem através do tato e olfato e também na forma de um programa de rádio, por exemplo, quando outros alunos podem narrar todo o processo para que o aluno cego perceba exatamente como o mesmo se dá.

•7.      Justificativas para as Adaptações Realizadas Embasadas nos Textos Recomendados Sobre Aulas Inclusivas e Caracterização da Deficiência.

A educação inclusiva, sustentada pela política educacional, pressupõe que,

"[...] o aluno com necessidades especiais deve ter a possibilidade de freqüentar a escola regular, participando de todas as atividades [...] um dos pressupostos básicos dessa proposta é a necessidade de adaptações no ensino que promovam desafios constantes a todos os alunos e favoreçam seu pleno desenvolvimento social e cognitivo." (GLAT, 2007,p. 106)

No entanto, é preciso que a escola se respalde quanto à oferta de adaptações e suportes para os alunos NE, entendendo que os alunos NE em sua maioria necessitam de tais adaptações para que o ensino-aprendizagem se torne relevante.

A deficiência visual tem dois grupos de condições distintas: cegueira e baixa visão. Em todas estas condições são necessárias adaptações no ensino regular respeitando sua situação real enquanto aluno.

Para o aluno NE Visual a socialização com os alunos é de extrema ajuda e contribuição no que diz respeito às trocas de informações que não devem ficar no nível professor-aluno surdo. Por exemplo, colocar um aluno ouvinte sentado junto e a frente a um aluno surdo para que possam se comunicar ou ainda desenvolver atividades que favoreçam a formação de pequenos grupos chamada tutoria por pares. Segundo Duk (2005) é de suma importância fazer o uso de estratégias de aprendizagem cooperativa - apoio criança-criança:

É fato comprovado à sociedade que as crianças não aprendem apenas com o professor (a), mas também com as outras crianças. As estratégias de aprendizagem cooperativa têm efeitos positivos no rendimento escolar, na auto-estima, nas relações sociais e no desenvolvimento pessoal. A utilização deste tipo de técnica pressupõe uma grande ajuda para o professor (a), por facilitar trabalho autônomo dos alunos (a)s, permitindo-lhe dedicar mais atenção àqueles que dela mais necessitam. (p. 176)

As adaptações devem ser contínuas e o professor deve assumir a responsabilidade de "desvelar os meios que assegurem a construção do conhecimento, favorecendo assim, o seu acesso ao currículo". (GLAT, 2007, p. 110)

Os alunos surdos necessitam de adaptações como professor intérprete presente regularmente na sala de aula, o que não deve anular a referência, o contato professor titular-aluno surdo; que o professor titular utilize de estratégias que alcancem suas necessidades como, por exemplo, o uso de frases completas e pausadas, sem muita movimentação do corpo e de forma que o aluno surdo tenha completa visão do rosto do professor; usar a escrita no quadro; alternar as atividades verbais com as motoras de forma que diminua o cansaço da atenção fixa no professor entre outras que forem identificadas pelo professor durante o processo ensino-aprendizagem.

Referência 

 DUK, Cynthia (org.). Educar na diversidade: material de formação docente. Brasília : Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2005 - P. 172-186

FONTES, R. S.; PLETSCH, M. D.; BRAUN, P.; GLAT, R. Estratégias pedagógicas para a inclusão de alunos com deficiência mental no ensino regular. IN: GLAT, Rosana (org.). Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar. - Rio de Janeiro: 7 Letras, 2007.

 

 

PLANO DE AULA INCLUSIVO - DEFICIÊNCIA AUDITIVA

TEMA DA AULA: MEIO AMBIENTE

•1.      Objetivos da Aula - Reconhecer a importância das minhocas para a terra e a contribuição da mesma para manutenção de um solo produtivo para o plantio.

•2.      Conteúdos - Preservação do solo como meio produtivo para o plantio.

•3.      Materiais Didáticos - Um aquário ou garrafa pet sem gargalo e transparente, areia, terra, esterco animal (pequena quantidade), água, saco de lixo preto, minhoca de diferentes tamanhos.

•4.      Materiais Didáticos Adaptados - Vídeo com LEGENDA e cartazes com imagens sobre a montagem do minhocário.

•5.      Descrição dos Procedimentos Didáticos para o Desenvolvimento da Aula

•5.1  Organização da sala de aula e disposição dos alunos - A atividade será realizada no pátio externo da escola devido à manipulação de materiais que podem sujar muito a sala, porém, o início se dará na sala de aula no que diz respeito às orientações para organizar a arrecadação dos recursos necessários.

•5.2  Procedimentos para iniciar a aula - Conversar com os alunos em sala de aula sobre a importância da minhoca no ambiente, para a fertilização e recuperação do solo. Apresentar um vídeo LEGENDADO sobre o assunto e ao final apresentar um texto simples sobre a importância e a função da minhoca para o solo.

TEXTO: "A minhoca alimenta-se de restos de vegetais e animais mortos, reciclando a matéria orgânica, liberando o adubo (húmus) no final de sua digestão. Esse adubo é rico em nutrientes. Outro benefício ao solo é a movimentação da minhoca, através de túneis que arejam o solo (misturando as camadas mais profundas com as superficiais)"

Solicitar aos alunos, que se unam em grupos para trazerem os materiais necessários para a montagem de um minhocário e os alunos com surdez deverão ser integrados nesses grupos para participarem ativamente da atividade.

•5.3  Desenvolvimento da aula - Montagem do minhocário: colocar no fundo do recipiente transparente a terra, em seguida a areia, o esterco, a terra novamente e assim intercalando todo material finalizando com o esterco. Colocar as minhocas e cobrir com o saco plástico preto.

Durante a montagem do minhocário conforme cada passo da montagem do minhocário for se desenvolvendo os alunos com NEE - Auditivo serão informados através da intérprete e das imagens em cartaz o nome de cada material e como deve ser montado.

•5.4  Finalização da aula - Ao final serão dadas orientações sobre a manutenção diária do minhocário (para os alunos com NEE - Auditivo será entregue uma cartilha), e orientações sobre a observação e o registro do processo que poderá ser feito em forma de representação (desenho) por todos os alunos.

•6.      Síntese das Adaptações Realizadas para Alunos com NEE

Para que alunos com deficiência auditiva possam participar desta atividade, ao longo da discussão sobre o assunto será necessário exibir imagens com legendas. O estudante com deficiência auditiva também poderá acessar a Internet para pesquisa da sala de recursos, no contra turno. E também poderá se inteirar do processo de montagem através do intérprete, das imagens nos cartazes apontando cada etapa e da cartilha e também com a ajuda dos alunos ouvintes.

•7.      Justificativas para as Adaptações Realizadas Embasadas nos Textos Recomendados Sobre Aulas Inclusivas e Caracterização da Deficiência.

A educação inclusiva, sustentada pela política educacional, pressupõe que,

"[...] o aluno com necessidades especiais deve ter a possibilidade de freqüentar a escola regular, participando de todas as atividades [...] um dos pressupostos básicos dessa proposta é a necessidade de adaptações no ensino que promovam desafios constantes a todos os alunos e favoreçam seu pleno desenvolvimento social e cognitivo." (GLAT, 2007,p. 106)

No entanto, é preciso que a escola se respalde quanto à oferta de adaptações e suportes para os alunos NE, entendendo que os alunos NE em sua maioria necessitam de tais adaptações para que o ensino-aprendizagem se torne relevante.

O aluno surdo pode ter surdez leve, moderada, severa ou ainda profunda. Em todos estes níveis de surdez são necessárias adaptações no ensino regular respeitando sua situação real enquanto aluno.

Para o aluno NE Auditivo a socialização com os alunos ouvintes é de extrema ajuda e contribuição no que diz respeito às trocas de informações que não devem ficar no nível professor-aluno surdo. Por exemplo, colocar um aluno ouvinte sentado junto e a frente a um aluno surdo para que possam se comunicar ou ainda desenvolver atividades que favoreçam a formação de pequenos grupos chamada tutoria por pares. Segundo Duk ( 2005) é de suma importância fazer o uso de estratégias de aprendizagem cooperativa - apoio criança-criança:

É fato comprovado à sociedade que as crianças não aprendem apenas com o professor (a), mas também com as outras crianças. As estratégias de aprendizagem cooperativa têm efeitos positivos no rendimento escolar, na auto-estima, nas relações sociais e no desenvolvimento pessoal. A utilização deste tipo de técnica pressupõe uma grande ajuda para o professor (a), por facilitar trabalho autônomo dos alunos (a)s, permitindo-lhe dedicar mais atenção àqueles que dela mais necessitam. (p. 176)

As adaptações devem ser contínuas e o professor deve assumir a responsabilidade de "desvelar os meios que assegurem a construção do conhecimento, favorecendo assim, o seu acesso ao currículo". (GLAT, 2007, p. 110)

Os alunos surdos necessitam de adaptações como professor intérprete presente regularmente na sala de aula, o que não deve anular a referência, o contato professor titular-aluno surdo; que o professor titular utilize de estratégias que alcancem suas necessidades como, por exemplo, o uso de frases completas e pausadas, sem muita movimentação do corpo e de forma que o aluno surdo tenha completa visão do rosto do professor; usar a escrita no quadro; alternar as atividades verbais com as motoras de forma que diminua o cansaço da atenção fixa no professor entre outras que forem identificadas pelo professor durante o processo ensino-aprendizagem.

Referência

DUK, Cynthia (org.). Educar na diversidade: material de formação docente. Brasília : Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2005 - P. 172-186

 

FONTES, R. S.; PLETSCH, M. D.; BRAUN, P.; GLAT, R. Estratégias pedagógicas para a inclusão de alunos com deficiência mental no ensino regular. IN: GLAT, Rosana (org.). Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar. - Rio de Janeiro: 7 Letras, 2007.

 

ALUNOS NEE, CIÊNCIAS PARA ALUNOS COM NEE, DEFICIÊNCIA AUDITIVA, DEFICIÊNCIA VISUAL, EXPERIMENTO CIÊNCIAS ENS. FUNDAMENTAL, PLANOS DE AULA INCLUSIVOS, SURDEZ

sexta 10 dezembro 2010 09:47



1 Fan

Nenhum comentário PLANOS DE AULA PARA ALUNOS COM NEE



Seu comentário :

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (50.16.165.62) para se identificar     



Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para educarte

Precisa estar conectado para adicionar educarte para os seus amigos

 
Criar um blog